7 de setembro de 2011

Livro do Mês: A Minha Vida em23 Posturas de Yoga

O livro que escolhi para este mês é um pouco diferente do habitual. Para além de estar em português (vá, lá teria que ser...), não é um livro prático. É um daqueles livros de nos enroscarmos com ele no sofá, em pijama e convenientemente munidas de manta e cházinho.

Comprei-o completamente por impulso. Estava a meter o nariz nos livros numa livraria e a capa chamou-me a atenção. Quando li a sinopse já não o consegui largar. É verdadeiro, directo, cru e, em tantas coisas, igual às nossas vidas enquanto mães, mulheres e ser humanos. Enfim...estou a adorar.

Deixo-vos aqui a crítica do Público:

"A minha vida em 23 posturas de yoga"

Do ioga para o quotidiano

“A Minha Vida em 23 Posturas de Yoga” é a estreia literária de Claire Dederer, jornalista e revisora norte-americana que escreve regularmente para o New York Times e para a edição americana da revista Vogue. O livro está à venda em Portugal desde finais de Julho com a chancela da Estrela Polar.
A autora arriscou embrenhar-se na literatura e narra neste romance como a prática do ioga revitalizou a sua disposição emocional, psicológica, física e social, partilhando com os leitores as lições aprendidas na sala de aula, mas que dela transbordaram tocando todos os aspectos da sua vida. 
Claire Dederer começou a sofrer de dores nas costas e na coluna quando já amamentava Lucy, a sua filha, há dez meses devido às posições que adoptava para o fazer. À medida que as dores foram aumentando de intensidade, e após vários incentivos, Claire experimentou o ioga. Desejava melhorar a postura do corpo, bem como controlar a sua ansiedade e o stress.
Inicialmente, tinha vários preconceitos sobre a prática: “Achava que [o ioga] era o território de senhoras comodistas de meia-idade com muito tempo livre ou de jovens magricelas, ex-ginastas, fanáticos e vegetarianos.”, escreve no primeiro capítulo.
A princípio, as posições, as técnicas e a destreza dos outros alunos intimidaram-na, mas com determinação foi ultrapassando os seus receios e obstáculos que o seu corpo e mente ofereciam. Um processo que, segundo a autora, foi uma importante base para mudar a forma de estar consigo mesma e com os outros. Claire Dederer considera que pela práctica do ioga descobriu uma fonte de equilíbrio entre as suas expectativas e a realidade, superando-se a cada dia enquanto mãe, esposa, filha e amiga.
Cada um dos capítulos da obra adoptou como título o nome de uma posição de ioga, reflectindo aí os desafios, os erros e as vitórias da autora fora e dentro da aula.

1 comentário:

ce. disse...

Então carochinha?Está tudo bem?

Abandonaste-nos em definitivo? :(

Bj grande e volta depressa